PESQUISAR


Concentração LGBT Assinala a resistência e direitos

2017-06-29

No passado dia 17 de Junho realizou-se uma concentração de apoio à comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais) na Praça Velha, em Angra do Heroísmo. 


A primeira Marcha do Orgulho deu-se no dia 28 de Junho de 1970, em Nova Iorque. O evento marcava o primeiro ano da Batalha de Stone Wall, que era um bar frequentado por gays, lésbicas e travestis e que era alvo de rusgas frequentes, em que se registavam muitas detenções. O ano de 1969 fica na história do movimento LGBT devido à resistência que foi feita à polícia, marcando e motivando, em todos os inícios de verão, paradas e marchas pelo mundo inteiro. 
Desta forma, esta concentração surgiu no âmbito de várias iniciativas que ocorreram por todas as regiões do país, que, este ano, se centraram na exigência da inclusão da identidade e expressão de género no artigo 13.º da Constituição e na luta contra a classificação da diversidade de identidades transexuais como patologias. 45 anos depois de ter sido despatolizada a homossexualidade, continuamos a assistir  ao facto de que a autonomia das pessoas trans, na livre vivência dos seus corpos, continua restringida pelo controlo médico. 
Não nos podemos conformar com a discriminação que persiste, na Região. E, como tal, estive na concentração com o objetivo de lutar por toda a diversidade. Pelas pessoas trans, intersexo, lésbicas, bissexuais, gays, assexuais, pessoas que têm diferentes modelos relacionais e familiares, pessoas arromânticas, pessoas que estão em relações poliamorosas e não-monogâmicas consensuais. Pessoas com Direitos inalienáveis. 
Estive presente, dando o rosto na organização e na concentração, com a certeza de que há muito pelo que lutar naqueles que são os direitos de todas as pessoas, combatendo a homofobia e a transfobia. 
Esta concentração foi o resultado do empenho e persistência de várias pessoas, desde a sua organização até ao acto de estar presente. A tod@s, obrigada! Aos que estiveram presentes e aos ausentes. Foi por tod@s. 
Finda a concentração, e durante todos os dias do ano, penso que tão bom seria se existisse a mesma liberdade para amar, que há para odiar. 
 
||Alexandra Manes 
Organização da Concentração LGBT
 
Em Asas da Igualdade, 28 de Junho 2017 Açoriano Oriental

 Ver galeria de fotos

Asas da Igualdade

A partir daqui pode ver Nas Asas da Igualdade: edição mensal da Umar-Açores e publicação no Açoriano Oriental.
A página Nas Asas da Igualdade foi lançada pela UMAR-Açores, integrada no projeto com o mesmo nome, desenvolvido em 2007 Ano Europeu da Igualdade e prossegue desde então até aos nossos dias



NOVEMBRO 2017
D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

GALERIA DE FOTOS

UMAR


Mulheres na Pesca